Solidão, Sedução e Sexualidade dos Vampiros


Solidão

O Vampiro é antes de tudo um ser solitário. Ao contrário do que poderia imaginar a sua eternidade conseguida através de pactos com o demônio é muito mais uma maldição do que uma bênção. O rompimento do ciclo natural de vida o lança numa nova dimensão de realidade transformada pelas evoluções da sociedade; por isso, a sua perspectiva de relações se restringe, tomando em conta que o amor pode ser um estado que decreta a sua destruição. No entanto, a energia humana, com todos os encantos e desencantos daqueles que o rodeiam, causam ao seu espírito pestilento uma mistura de desejo e medo a cada vez que se aproxima de uma vítima. Ele sabe que ao buscar o líquido essencial à sua existência poderá encontrar-se com formas e sentimentos que colocarão em xeque a sua opção pela imortalidade. Uma mulher pode levar dentro de si encantos capazes de envolvê-los em teias de sensações carnais que o conduzirão inevitavelmente à paixão, e esse sentimento é perigoso na medida que pode romper as barreiras da demonialidade aproximando-os dos sentimentos comuns a todos os mortais. Existem alguns casos de nosferatus que apaixonados por suas vítimas são surpreendidos pela luz da manhã, letal para sua existência noturna. Na ânsia de sugar o fluido vital se encontram com cenários estimulantes à paixão, e seu ser, que apesar de transcarnalizado conserva sentimentos humanos pode se iludir por um momento, conduzindo-o a caminhos proibidos para sua imortalidade. Essa possibilidade não deixa de mostrar quão terrível é a solidão dos vampiros.

Sedução

O sonho é um elemento que pode ser utilizado pelo nosferatu, pois nesse mundo seus poderes são quase que ilimitados. Ao ver uma vítima que lhe agrade, o vampiro procura no olhar uma maneira para que possa penetrar no seu estado inconsciente de maneira a deixar sua marca. Através dessa porta ele se introduz no mundo dos sonhos onde começa a atuar, transmitindo à sua vítima os mais deliciosos momentos de êxtase sexual. Segundo narrativas de pessoas que tiveram essa experiência, e que não se envergonharam de contar, tudo começa com uma leve brisa que envolve os sentidos numa letárgica sensação de abandono. O corpo se torna um elemento leve que aos poucos é conduzido em mirabolantes vôos pelas mãos do sedutor. Aos poucos a nudez lasciva abre as portas de estranhos caminhos sensuais e a vítima sente-se possuída por uma infinidade de imagens que se tornam cada vez mais reais. Flutuando por uma infinidade de imagens que se tornam mais reais. Flutuando sob o espaço, as veias sangüíneas se dilatam para entrada dos fluidos do vampiro, canalizando a um só instante um turbilhão de prazeres infernais semelhantes aos descritos pelo poeta italiano Dante Alighieri, na Divina Comédia. O inferno deixa de ser um temor para o ser vampirizado para passar a ser um atração. Nuvens de éter invadem todas as moléculas do corpo, lançando-o numa distante dimensão, longe da racionalidade do cotidiano comum a todos os homens. Ao despertar, dificilmente a pessoa se dará conta de que está sendo vítima de um ardil vampiresco; no entanto, assim que entrar em contatob com aquele que a conduz por essas exóticas trilhas, o identificará de forma inconsciente, e fatalmente o convidará ao seu leito, sem saber que atrai para si um amante tão habilidoso que será capaz de esgota-la completamente. Uma das limitações do nosferatu é que não pode entrar numa casa sem ser convidado por alguém que habite o lugar; por isso, o fascínio sensual que exerce sobre as mulheres, muitas vezes facilitarão essa tarefa, chegando mesmo a ser ardentemente desejado, deixando a falsa sensação de que está sendo seduzido, quando na verdade está seduzindo para seus diabólicos fins.

 

Sexualidade

Uma das características comuns a quase todos os vampiros é a bisexualidade. Não importa o sexo da vítima, mas o fluido que dela exala para aumentar a vida daquele que transgrediu a morte. No entanto, a bisexualidade é mais latente nas vampiras. A sua vítima irá se apaixonar pela fragilidade anêmica e emocional que falsamente deixa transparecer, e deixará que o sêmen do seu ventre seja sugado pela boca aflita aquela que procura a imortalidade. As suas línguas se encontrarão num plano de sensualidade ardente que aumenta lentamente até o momento supremo do “beijo de fogo”. A partir desse instante seus corpos estarão igualmente contaminados pelo vírus da luxúria vampiresca, que evoluirá até a ponto em que uma possua completamente a outra, numa paixão diabólica que se estenderá pelos mais recônditos cantos do inferno astral. Depois de consumado esse ritual que poderá demorar dias até chegar ao êxtase supremo, as vampiras iniciarão novas buscas, formando em torno delas um ciclo de orgias intermináveis, onde o sêmen é bebido na glória de satã, e o sangue derramado para a perpetuação da carne.  Apesar dos atraentes caminhos conhecidos pelos vampiros, para se chegar aos mais loucos prazeres da carne, nunca se poderá esperar dele o amor, pois os seus instintos passionais são narcisistas, objetivando pura e simplesmente a alimentar-se a si próprio, saciando seus desejos seus desejos de beleza e juventude, sem se importar com aqueles que lhes emprestam a energia. Na verdade, não existe troca; tudo flui apenas para si, transformando o outro corpo, depois de exaurido, em um saco vazio, com o qual pode fazer o que lhe aprouver. Apesar do corpo de um vampiro poder ser trocado, ele jamais refletirá nenhum tipo de brilho, tendo a função de apenas absorver. Por isso, a sua imagem não existe nos espelhos e sua sombra está aprisionada, impedindo qualquer tipo de propagacão energética por mais simples que seja. Para os vampiros, só é possível se projetarem nocoração das suas vítimas, que por sua vez depois de sugado perde o brilho, como se um diamante depois de demasiadamente lapidado se transformasse em rocha opaca e sem vida.

 

Fontes de Energia do Vampiro Astral

 

Existem mistérios dentro de nós, que não ousamos revelar nem para nós mesmos. Todos os dias vamos à procura de alguma coisa para saciar nossas anciedades, e esse é um processo que se realiza ao preço da nossa sanidade mental, ou quem sabe da insanidade. Nessa busca sugamos energias, e nos deixamos ser sugados, num metabolismo que às vezes escapa do nosso controle. Procuramos fontes para alimentar-nos de sabedoria, sexo, sonhos, esperança, vida. Por mais que um suicida deseje a morte, o que está procurando é um meio de libertar-se dos morasmos causados pela sua ansiedade. Então, na verdade, não quer morrer, mas saciar-se com a vida, para isso é capaz de qualquer atitude, chegando ao extremo de matar-se por desespero, sem saber que justamente é nela que está a fonte de criação que lhe permitiria a auto-preservação diante da morte. A ação do tempo envelhece a matéria, tornando a realidade da morte cada vez mais próxima; o objetivo do vampiro astral é conseguir vencer esse círculo tomando a energia de outros, para preservar sua beleza física e aumentar seus dotes intelectuais, aumentando o fascínio que as outras pessoas terão por ele. Para isso, não mede esforços, e procura sugar tudo que possa converter em força para realizar a travessia através do inexorável círculo do tempo. Normalmente esses vampiros são atraentes, contando com um charme muito especial, e sabem formar teias com as palavras capazes de aprisonar para sempre o coração de um incauto. Os seus olhos irradiam a sedução do fogo dos infernos, despertando nas suas vítimas o ardente desejo de conhecer os mistérios que domina. Nos movimentos transmite a sabedoria daqueles que sabem caminhar nas trevas. Por isso, quando se aproxima de alguém para roubar-lhe as energias, provoca a atraente sensação de angústia misturada ao encantamento diabólico do desconhecido. O vampirismo astral acontece em todos os níveis de relações humanas, tanto no envolvimento social como no físico. O empresário de uma grande empresa alimenta-se do trabalho dos seus operários e por isso pode pagar tratamentos de luxo que lhe preservam a juventude por mais tempo. Já os operários, exauridos, em pouco tempo se transformam em esqueletos devidos as dificuldades que enfrentam no dia a dia. Ja na relação entre duas mulheres é necessário que uma beba o sêmen da outra para alimentar a sua beleza e sua força masculina capaz de quebrar as barreiras que se colocam a sua frente. O lesbianismo é o mais autêntico caso de vampirismo astral. Aquela que está sendo possuída tem a sensação de estar entregando-se a mil serpentes que elevam seu goso ao mais louco êxtase. A essência que flui nesse orgasmo é imediatamente absorvido e transformado em vitalidade. Também nas relações do homem com mulher pode acontecer o vampirismo astral, a partir do momento que um possui o outro. A mulher absorve o esperma para transforma-lo em energia viva, e o homem por sua vez domina a fêmea. Era comum durante o império romano, as esposas dos poderosos convocarem muitos escravos para se masturbarem diante de uma banheira, onde era recolhido o esperma para seus banhos de embelezamento. O líquido saído das entranhas dos escravos era um eficiente creme contra as rugas, e deixava a pele macia, num nítido desejo de fugir da ação do tempo. Não menos famoso, é o caso da Condessa Bathory que recolhia centenas de camponesas no interior da Itália prometendo-lhes uma vida mais confortavel, e depois de realizar todos os tipos de libertinagem com as moçoilas, passava todas a fio de espada para tomar orgíacos banhos de sangue. Quando presa e interpelada pelas autoridades porque a necessidade do sangue, ela confessou que temia ficar velha, e o sangue das jovens lhe restituía a mocidade perdida.

Todos os rituais místicos conduzidos por um sacerdote têm um caráter de absorção da energia alheia, pois enquanto os fiéis rezam, este apenas abre os braços para receber dentro de si toda a força da fé. Esse é o alimento básico de todas as religiões que, sem crentes para sustentar sua estrutura energética, estaria fadada ao desaparecimento através do desgaste dos séculos. A entrada da cultura oriental no ocidente, trouxe hordas de vampiros, astrais, que se passando por gurus, roubam energia dos seus fanáticos seguidores, sem que isso seja negativo ou positivo, mas apenas ma constatação. A maioria dessas seitas pregam o anulamento da personalidade em detrimento da verdade coletiva pregada. Então a força de cada um tem que se transformar em alguma coisa que muitas vezes foge da compreenção racional humana. Há poucos anos, milhares de seguidores do Pastor norte americano, Jin Jones, num momento de frenesi coletivo, foram conclamados a morrer pela causa “evangélica”. No entanto, até hoje o corpo do pastor não foi encontrado, o que abre especulações da possibilidade dele viver abastadamente num país tropical, usurfruindo do esforço dos seus seguidores.

Sempre que uma pessoa iniciar relações com um vampiro astral, começará a perder suas energias vitais, estando cada vez mais sujeita à sua vontade. Depois de exauridas suas forças o vampiro simplesmente o renega, deixando-o abandonado à sua sorte, e praticamente sem possibilidades de uma recuperação. Nesses casos estariam colocados os gigolôs, que depois de explorarem suas mulheres da maneira que lhes convém, as atiram à beira da sarjeta com a sua potenciadade de amor totalmente exaurida. Enquanto o pérfido goza o ouro adquirido dos seus corpos. Mas temos que dizer que alguns tipos deroubo ou doação de energia são necessários para a sobrevivência de outros. Por exemplo: quando uma pessoa está sofrendo de anemia profunda e necessita de uma transfusão de sangue. A princípio, isso sería vampirismo, mas na realidade o sangue está sendo utilizado para a salvação de uma vida. Também uma ama de leite que tem que amamentar uma criança cuja mãe não possui o precioso alimento. Ela está na verdade fortalecendo a vida de um ser que pela sua pureza só irá glorificar a vida, afastando qualquer possibilidade de roubo de energia. Mas o demônio, e por sua vez os seus súditos, possuem as suas artimanhas e costumam colocar no mundo certas criaturinhas que aparentam serem humanos, mas que na verdade vieram para espalhar o ódio e o terror no mundo. Normalmente a mãe desses pequenos demônios não sabem que fecundaram dentro do útero a vil criatura, pois são possuídas pelo canhoto durante os sonhos que se assemelham à realidade. Ao despertar, em tudo lhes parece fantástico demais para ser verdade. Por isso, aparecem grávidas e pensam ter sido obra disso, o marido ou amante que possuam porventura. Na hora de parir são tomadas porintensas dores que lhes levam a morte no ato de dar à luz ou para melhor dizer às trevas. Esses bebês, sem mãe, necessitam de alguém para amamentar e os súditos do demo escolhem amas de leite ricas em energia. Iniciando dessa forma um ritual de vampirismo, do qual jamais tomará conhecimento a própria mulher, a não ser quando totalmente exaurida de seus atributos cairá diante da maligna criatura. Para reconhecer essas criaturinhas basta olhar para o lado esquerdo do seu cérebro que possui a marca do rei das trevas em forma de três seis em forma de uma cabala que significa o poder das trevas sobre a criação divina.  ( fonte:  mortesubita.org )


6 Respostas to “Solidão, Sedução e Sexualidade dos Vampiros”

  1. muito bom eu sou sua fã do grepuscolo thu

  2. Rebeca da Silva Alves Says:

    Eu amo vampiros até queriia ser uma eu e minhas amigas Lúcia e Sabrina agente ama de paixão vampiros bjoo*-*

  3. Rebeca da Silva Alves Says:

    vampiroooooooooooooooooooooooooooos

  4. vampirismo e um modo de expressar sentimeinto de amor,paixao e tristeza por isso que eu idolatro mto o lado do vampirsmo

  5. tudo a ver isso q ta escrito. aprendi mto sobre nossa especie

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: